Marina Moschen, a Selena de Deus Salve o Rei, afirma que sua personagem motiva não só o telespectador, mas como a ela própria

"Me inspira muito a ir realmente atrás do que eu quero!"

Fernanda Chaves

Marina Moschen | <i>Crédito: Globo/João Cotta
Marina Moschen | Crédito: Globo/João Cotta


Hebreia,  mocinha, patricinha e, agora, uma guerreira medieval. No ar em Deus Salve o Rei, Marina Moschen comemora a chance de poder se reinventar a cada trabalho. “É muito legal quando você tem a oportunidade de virar essa chave e fazer cada hora uma coisa diferente. É bom porque você esquece tudo o que fez, para poder embarcar em uma história nova”, explica a estrela, que não pensou duas vezes antes de aceitar o convite para a novela. “É o primeiro personagem que eu faço assim. É tudo uma descoberta para mim, é sempre um desafio. Desde o corpo dela, que é muito diferente do meu. Sou um pouco mais delicada, ela é mais bruta”, conta.

Para atuar em Deus Salve o Rei, Marina fez aulas de arco e flecha, duelo com espada, luta corporal e escalada. Foto: Globo/Sergio Zalis

 

UMA MULHER DESTEMIDA

Para interpretar a arqueira, a libriana se inspirou na personagem Lya Stark, vivida por Aisling Franciosi na série Game of Thrones, e fez preparação de arco e flecha, duelo com espada, luta corporal e escalada. O corpo ficou um pouco dolorido, mas a atriz tirou de letra e conta que, durante o processo de composição, surgiram momentos muito engraçados. “Eu tenho um pouquinho de medo de andar a cavalo, então, fico meio dura em cima e o pessoal tira sarro, faz um monte de brincadeira. Mas é muito legal, eu me divirto”, lembra. Na trama, Selena mostrou que o gênero não importa quando você é capaz e quer fazer o que ama. Ela enfrentou o preconceito de todos para realizar seu sonho: entrar na Academia Militar de Montemor. Para Marina, a mensagem que a plebeia de Montemor passa é que você não deve se acomodar. “Às vezes, tem muitas pessoas que estão em um lugar e não se sentem à vontade, motivadas e continuam ali porque acham que não têm como ir para frente. A Selena mostra que, quando você quer, vai atrás e que, quando se esforça, chega aonde deseja”, explica a fluminense, que também é influenciada pela história. “A parte legal é isso, que inspira as outras meninas e me motiva muito também a ir realmente atrás do que eu quero. Ela me abre o olhar sobre várias situações”, discursa a estrela, que destaca a determinação como um ponto em comum com a personagem. Já os superpoderes da arqueira, Marina não sabe se gostaria de ter. “Eu adoraria voar. Mas os poderes dela são coisas que ela não controla. Se está triste, chove, então, a denuncia um pouco. Não sei se isso é tão bom assim (risos)”, diverte-se. 

A libriana fez dois pares românticos com Nicolas Prattes: em Malhação e Rock Story. Foto: Globo/Raquel Cunha

 

APOIO EM CASA

Para ingressar na carreira de atriz, a libriana teve que deixar sua terra natal. Criada pelos avós, Vera e Abel, Marina saiu de Angra dos Reis, no litoral fluminense, aos 16 anos, para morar na Cidade Maravilhosa e estudar teatro. “Sempre fui muito apegada à minha avó, então, foi um desprendimento, uma mudança. Foi difícil para mim, mas graças a Deus, eu ganhei o apoio total da minha família, dos meus pais. Foi uma situação bem complicada, mas eu tive um suporte para fazer”, lembra. Além disso, outro apoio fundamental para a atriz é o do namorado, o empresário Daniel Nigri. “Ele assiste a tudo e eu peço para dar um retorno. Eu perturbo todo mundo da minha família para assistir aos meus trabalhos”, confessa a linda jovem, de 21 aninhos.

TUDO NO TEMPO CERTO

Desde a estreia em Os Dez Mandamentos (2015), na Record TV, que Marina não parou mais. No mesmo ano, ela debutou na Globo, como Luciana, a protagonista de Malhação: Seu Lugar no Mundo. Depois, interpretou a patricinha Yasmin, em Rock Story (2016), e, agora, encara sua quarta novela. Para ela, tudo aconteceu no tempo certo e férias ainda não fazem parte de seus planos. “Por enquanto não. Acho que estou na fase de trabalhar mesmo. Estou no início da  minha carreira, muito feliz de estar trabalhando e tendo oportunidade de fazer esses personagens. Isso me faz crescer muito e não quero parar por agora”, afirma. 

A diversão favorita da atriz é curtir o maninho Diego, de 1 ano e três meses. Foto: Instagram

 

Nova, bonita e com uma carreira em ascensão, é difícil não se deslumbrar e deixar o sucesso subir à cabeça. Mas com Marina, isso não aconteceu. “Tudo está se desenvolvendo de uma forma bem natural na minha vida. E a gente está trabalhando, né? Eu vou para a Globo para gravar a novela. Acho que se focar nisso, a gente consegue sempre estar com os pés no chão”, discursa. “Você sabe o que te move. O que me motiva é atuar e é isso que eu quero continuar fazendo”, frisa. Apesar da independência financeira, ela ainda não pensa em sair de casa. A atriz mora com o pai, o biólogo Fernando Moschen. “Eu curto viver com o meu pai. Estou agora com um irmãozinho de um ano e três meses, o Diego, que é uma fofura. Adoro chegar em casa e brincar com ele”, derrete-se. “Estou trabalhando, então, tenho a minha vida um pouco mais independente, mas, para mim, é ótimo. Amo estar com a minha família, gosto demais desse carinho”, conclui.



08/06/2018 - 03:12

Conecte-se

Revista Minha Novela